Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

CNEN concede prêmio Octacílio Cunha à Agência Internacional de Energia Atômica

 

Cotta Amano

Presidente da CNEN, Renato Cotta, entrega premiação da AIEA a YuKiya Amano.    (Foto: Douglas Troufa /CNEN)     

 

A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) entregou, na tarde desta sexta-feira (25/11), o Prêmio Octacílio Cunha à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Uma breve solenidade de entrega foi realizada no auditório Carneiro Felippe, na sede da CNEN, no Rio de Janeiro. A Agência foi representada por seu diretor-geral: Yukiya Amano. 

O prêmio é concedido pela CNEN desde 1981 a instituições que contribuem para o desenvolvimento do setor nuclear brasileiro. Os homenageados são escolhidos pela Comissão Deliberativa da CNEN e a entrega da premiação ocorre, tradicionalmente, durante a comemoração do aniversário da CNEN, em 10 de outubro.

Neste ano, a AIEA, por problemas de agenda, não pode enviar representante para receber a premiação. As demais instituições agraciadas a receberam na solenidade comemorativa dos 60 anos da CNEN, ocorrida em outubro na Escola de Guerra Naval, no Rio de Janeiro: Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI/PR), Sociedade Brasileira de Biologia, Medicina Nuclear e Imagem Molecular (SBMN) e Amazônia Azul Tecnologia de Defesa  (Amazul).

A entrega da premiação à AIEA foi incluída na programação da visita que Yukiya Amano realizou ao Brasil entre os dias 23 e 25 de novembro. Neste período, ele conheceu importantes projetos e empreendimentos do setor nuclear brasileiro.

 No dia 23, o diretor-geral da AIEA visitou o Centro Experimental de Aramar, em Iperó, no interior de São Paulo, onde conheceu o projeto do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB). No dia 24, Yukiya Amano foi recebido em Brasília pelo Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, e demais autoridades. Em reunião realizada na capital federal, Amano destacou a importância do RMB para o desenvolvimento do Brasil.

Na sexta-feira (25), último dia de sua visita ao Brasil, Amano foi, pela manhã, à Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), em Angra dos Reis (RJ), onde encontram-se as usinas nucleares Angra 1, Angra 2 e o canteiro de obras de Angra 3. De volta à cidade do Rio de Janeiro, na parte da tarde Amano participou de reunião na Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC) e da entrega do prêmio Octacílio Cunha, encerrando seus compromissos oficiais no Brasil. 

registrado em:
Fim do conteúdo da página