Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Institutos da CNEN debatem gerenciamento de rejeitos em workshop no IEN

DSC 0210

 (Foto: Cláudio Braz / CNEN)

 

Foi realizado no Instituto de Engenharia Nuclear (IEN), unidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) localizada no Rio de Janeiro, nos dias 11 e 12 de abril, o Workshop sobre Gerenciamento de Rejeitos. O evento teve o objetivo de discutir as competências e atividades desempenhadas na área; os recursos disponíveis (humanos e materiais); os pontos fortes, fracos, oportunidades de melhoria e perspectivas futuras; as atividades acadêmicas, além das cooperações internas e externas no Gerenciamento de Rejeitos.

 

 Na abertura o Presidente da CNEN, Paulo Roberto Pertusi, destacou que ”a iniciativa de unir os Institutos é bem-vinda. Os resultados aparecem quando há integração”. O Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da CNEN, Altair Souza de Assis, salientou que “o rejeito faz parte do círculo virtuoso da produção e que o cuidado é necessário para o rejeito convencional, e ainda mais para o radioativo”. Ailton Dias, assessor da DPD, abordou a importância para o país do projeto do Repositório Nacional de Rejeitos Radioativos de Baixo e Médio Nível de Radiação (RBMN), explicando que “um dos objetivos da integração promovida por esse encontro é otimizar o andamento do projeto, que é um compromisso da CNEN”. Essa integração e colaboração entre os institutos foi reforçada pelo Diretor Interino do IEN, Fábio Staude.

 

 No primeiro dia foram feitas apresentações das áreas de gerenciamento de rejeitos dos institutos da DPD: IEN, IPEN, CDTN, IRD e CRCN-NE.  O CDTN apresentou o estágio do projeto do RBMN, salientando que este depósito é um requisito técnico para a sustentabilidade da área nuclear no Brasil e um compromisso com as gerações futuras. O projeto consiste na concepção, construção, licenciamento e comissionamento do repositório para rejeitos de baixo e médio nível de radiação, com a previsão de 300 anos de guarda de material. O IEN participa do projeto através da secagem de resinas de troca iônica e com vídeos do repositório feitos pelo Laboratório de Realidade Virtual.

 

O CDTN ainda relatou suas atividades no setor, com destaque para a repatriação de fontes com origem canadense e norte-americana e a Pesquisa & Desenvolvimento na área de rejeitos do instituto. O IPEN apresentou o processo de descontaminação de para-raios com laser e o projeto de tecnologias de tratamento e guarda de rejeitos radioativos que contou com verba da AIEA de 200 mil euros, sem contrapartida nacional. O CRCN-NE abordou a criação de um software de otimização do arranjo de fontes radioativas e a viabilidade da implantação de um laboratório de tratamento de rejeitos.

 

No segundo dia do workshop foi realizada visita aos depósitos e outras instalações de rejeitos radioativos do IEN e discutida a situação atual das atividades associadas ao gerenciamento de rejeitos. Os especialistas dos institutos apresentaram propostas para um plano de ação para a adequação das instalações e para o fortalecimento das atividades de gerenciamento de rejeitos radioativos no IEN. A proposta é que este seja o ponto de partida para a consolidação de uma Rede de Cooperação em Rejeitos Radioativos na CNEN.

 

Fonte: Ascom/Dien – IEN / COCOM-SEDE

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página