Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

SBMN e CNEN assinam acordo para cooperação no fortalecimento da segurança e proteção radiológica em atividades de medicina nuclear

(Foto: Douglas Troufa /CNEN)
imagem sem descrição.

A Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN) e a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) assinaram na tarde desta terça-feira (6/6) um acordo de cooperação para fortalecimento da proteção radiológica e segurança nas atividades de medicina nuclear. A assinatura ocorreu na sede da CNEN, no Rio de Janeiro, e reuniu dirigentes das duas entidades.

 

Como órgão regulador das aplicações sociais da energia nuclear no Brasil, cabe à CNEN licenciar e controlar práticas de medicina nuclear no que diz respeito à proteção radiológica. A SBMN, como entidade de classe específica dos profissionais de medicina nuclear, tem a função de habilitar médicos que atuam no segmento.

 

A parceria firmada entre as duas instituições vai permitir um melhor entrosamento e eficácia na adoção de medidas que assegurem a devida proteção radiológica nas práticas médicas nucleares. Este tipo de cooperação institucional é uma das recomendações da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para que seja garantido o uso seguro da energia nuclear, em especial na área de exposições médicas.

 

O acordo abre a possibilidade de uma série de atividades de cooperação. Uma das ações práticas já acertadas entre as entidades é a avaliação conjunta de competências exigidas de responsáveis técnicos de serviços de medicina nuclear.  As entidades também atuarão conjuntamente, dentro de suas respectivas competências, nos processos de habilitação de médicos nucleares.

 

Outro ponto relevante do acordo é a colaboração entre SBMN e CNEN na promoção de ações de formação profissional, campanhas de esclarecimento e divulgação de requisitos regulatórios no segmento da medicina nuclear, visando aperfeiçoamento dos instrumentos de regulação e um contínuo aumento da segurança nas práticas desta área médica. As entidades também atuarão no desenvolvimento de pesquisas, instrumentos científicos e técnico-administrativos que permitam aperfeiçoar a proteção radiológica e levar, de maneira segura, os benefícios da medicina nuclear a um número cada vez maior de brasileiros.  

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página