Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Delegação brasileira participa da 61ª Conferência-Geral da AIEA

Pertusi e Amano FORO

             Evento comemorativo dos 20 anos do FORO - atividade paralela à 61ª Conferência-Geral da AIEA.   Foto: divulgação/AIEA

 

 

O presidente da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), Paulo Roberto Pertusi, e os diretores Alexandre Groman (Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear - DRS) e José Carlos Bressiani (Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento - DPD), entre outros membros da instituição, integraram a delegação brasileira que participou da 61ª Conferência-Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). O evento ocorreu entre os dias 18 e 22 de setembro, em Viena.

A Conferência ocorre anualmente e reúne representantes dos Estados Membros da AIEA. No encontro são avaliadas e decididas medidas para fortalecer a cooperação internacional em matéria de segurança nuclear, ações de salvaguardas nas aplicações da energia nuclear, ações de cooperação técnica entre a AIEA e os países que a integram e também questões orçamentárias, os projetos e investimentos da AIEA.

Neste ano, a Conferência-Geral contou com delegações de 157 dos 168 países-membros da AIEA, somando um total de cerca de 2.500 participantes. O diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, foi nomeado para outro mandato de quatro anos. Em sua declaração de abertura do evento, ele destacou o compromisso da AIEA em responder prontamente às necessidades dos países-membros com programas de alta qualidade e resultados concretos.

Além da direção da CNEN e da Coordenadora-Geral Viviane da Silva Simões (Coordenação-Geral de Assuntos Internacionais da CNEN), a delegação brasileira na Conferência-Geral contou também com representantes de outros órgãos do setor nuclear e do corpo diplomático brasileiro. Eles também estiveram envolvidos em eventos da área nuclear paralelos à Conferência-Geral da AIEA. Foram realizadas visitas a laboratórios da AIEA, encontros científicos abordando aplicações da energia nuclear em diferentes áreas, entre outras atividades.

Entre estas atividades paralelas, destacou-se o evento realizado no dia 19 de setembro em comemoração aos 20 anos do Foro Iberoamericano de Organismos Reguladores Radiológicos y Nucleares (FORO), entidade que desde julho deste ano é presidida pela CNEN. O FORO foi criado em 1997 para promover o alto nível de segurança em todas as práticas e atividades que envolvam fontes de radiação ionizante e materiais nucleares. Um de seus objetivos centrais é o intercâmbio de informações e experiências relacionadas à segurança radiológica, nuclear e física.

 A entidade, que mantém uma colaboração intensa com a AIEA, é composta por organismos reguladores de atividades nucleares e radiológicas da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Espanha, México, Paraguai, Peru e Uruguai. O presidente da CNEN, Paulo Roberto Pertusi, ressaltou no encontro a relevância da cooperação dos países que integram o FORO para a garantia de que todos possam usufruir dos benefícios da energia nuclear com a máxima segurança possível. "O preço da segurança é a vigilância permanente. Para isso, o FORO tem um papel importante a desempenhar". afirmou. 

 

 

Texto: Luis Machado 

registrado em:
Fim do conteúdo da página