Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > DPD entrega à DRS Relatório Preliminar de Análise de Segurança (RPAS) do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB)
Início do conteúdo da página

DPD entrega à DRS Relatório Preliminar de Análise de Segurança (RPAS) do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB)

  • Publicado: Quinta, 13 de Dezembro de 2018, 17h07
  • Última atualização em Sexta, 14 de Dezembro de 2018, 08h31

 

A Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD) da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) entregou na tarde desta quinta-feira (13/12) à Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear (DRS) da instituição o Relatório Preliminar de Análise de Segurança (RPAS) do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB). Os quatro volumes que compõem o documento foram entregues em uma solenidade realizada na sede da CNEN.

O ato de entrega do Relatório contou com a presença do presidente da CNEN, Paulo Roberto Pertusi, dos diretores José Carlos Bressiani, da DPD, e Alexandre Gromann, da DRS, do coordenador técnico do RMB, José Augusto Perrotta, e do coordenador da elaboração do RPAS, José Francisco Bistulfi. Também estiveram presentes na solenidade servidores da DPD que participaram da elaboração do RPAS e servidores da DRS que farão a análise do documento. 

O RPAS é um estudo denso e de alta complexidade, que soma mais de duas mil páginas. Para sua elaboração, que durou quatro anos, foi usado como referência o projeto básico de engenharia do RMB. A equipe envolvida nas análises e preparação do Relatório foi composta por especialistas de diferentes unidades da CNEN, liderados pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). 

O documento é um importante passo no processo de concretização do RMB. O empreendimento já conta com a Licença de Local emitida pela DRS, o que representa uma autorização oficial para que seja sediado na área selecionada em Iperó, no interior de São Paulo. O RPAS entregue nesta quinta à DRS é necessário para solicitação da Licença de Construção. O documento é específico do reator nuclear e não inclui as demais instalações que irão operar com material nuclear e radioativo dentro do Centro Reator Multipropósito Brasileiro, nome dado ao complexo científico e tecnológico que funcionará em torno do reator. Futuramente, com a obra concluída, um Relatório Final de Análise de Segurança (RFAS) será elaborado para solicitação da Licença de Operação do reator nuclear.

O RMB é um empreendimento de alta complexidade, com custo estimado de U$ 500 milhões, que será construído e administrado pela CNEN. Uma de suas finalidades é a produção de radioisótopos, que são a base para os radiofármacos utilizados na medicina nuclear e na produção de fontes radioativas usadas em aplicações na indústria, na agricultura, no meio ambiente, entre outras áreas. O empreendimento está sendo coordenado pela Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento da CNEN com a participação de seus institutos de pesquisa.

Com o RMB, o Brasil estará a caminho de se tornar autossuficiente na produção de radioisótopos. O país possui quatro reatores de pesquisa em funcionamento. A produção de radioisótopos ocorre principalmente no reator IEA-R1, instalado no Instituto de Pesquisa Energéticas e Nucleares (Ipen), unidade da CNEN em São Paulo. Esse reator, porém, não tem capacidade para produzir em escala o molibdênio-99, radioisótopo que dá origem ao radiofármaco tecnécio-99m, utilizado em mais de 80% dos cerca de 1,5 milhão de procedimentos de medicina nuclear realizados anualmente no país.

A CNEN importa atualmente todo o molibdênio-99 que utiliza para produção de radiofármacos. Em 2009, com a paralisação do reator canadense que era o principal fornecedor do Brasil, juntamente com a interrupção de funcionamento de reatores na Bélgica e na Holanda, houve uma crise mundial no fornecimento deste radioisótopo. O Brasil buscou alternativas de importação na Argentina e na África do Sul, mas a área de medicina nuclear nacional precisou adaptar-se a uma situação de crise no abastecimento.

A situação de desabastecimento criou a expectativa de buscar alternativas para garantir ao Brasil independência na produção dos radioisótopos utilizados na medicina. O RMB tornará isso possível. Além da produção de radioisótopos, o RMB também tem como funções básicas a realização de testes de irradiação de combustíveis nucleares e materiais estruturais utilizados em reatores de potência, bem como a realização de pesquisas científicas com feixes de nêutrons em várias áreas do conhecimento. 

 

Entrega RPAS 2

Relatório Preliminar de Análise de Segurança (RPAS)

 

Entrega RPAS 3

Entrega formal do Relatório. Pertusi (esq.), Bressiani, Gromann e Perrotta (dir.)

 

Entrega RPAS 5

Participantes da solenidade

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página